O famoso ex-chefe da máfia irlandesa de Boston James “Whitey” Bulger, condenado por 11 assassinatos e outros crimes nas décadas de 1970 e 1980, foi encontrado morto em uma cadeia de segurança máxima na Virgínia Ocidental na manhã desta terça-feira (30). Ele tinha 89 anos e cumpria a pena de prisão perpétua.

De acordo com o jornal Boston Globe, a condição de saúde do ex-mafioso, que sofria de problemas cardíacos, havia se deteriorado nos últimos meses. Ele foi encontrado por agentes, desacordado, por volta das 8h20 locais (9h20 de Brasília).

Ele havia chegado na segunda-feira à prisão federal USP Hazelton, na Virgínia Ocidental, tendo sido passado recentemente por uma cadeia da Flórida e outra em Oklahoma City.

O criminoso teve sua história contada em Hollywood em 2015, quando Johnny Depp interpretou o gângster em “Aliança do Crime”, dirigido por Scott Cooper. Sua trajetória também inspirou o personagem Frank Costello (Jack Nicholson) em “Os Infiltrados” (2006) de Martin Scorsese.

Bulger foi condenado à prisão perpétua em 2013 depois de ter sido declarado culpado de 11 homicídios entre 1973 e 1985. Ele passou vários anos foragido antes de ser detido, em 2011, na Califórnia.

O criminoso, que liderava um grupo chamado “Winter Hill”, encomendou uma série de assassinatos em Boston, antes de fugir para a Califórnia, onde viveu os últimos 16 anos com identidade falsa, até ser preso pelo FBI em Santa Monica.

Ele também foi condenado por extorsão, chantagem, lavagem de dinheiro, posse de armas e tráfico de drogas.

Os crimes do “Winter Hill” eram caracterizados pela brutalidade, incluindo arrancar os dentes ou os dedos das vítimas com a intenção de obstruir as investigações. Ele também tinha ligações com agentes corruptos do FBI e chegou a ser listado como o segundo criminoso do mundo mais procurado pelo FBI, atrás somente de Osama Bin Laden.

No julgamento, a juíza Denise Casper afirmou que “os testemunhos do sofrimento humano que você e seus comparsas infligiram nos outros foram agonizantes de assistir e dolorosos de ouvir”. “Em alguns momentos, desejava que aquilo fosse um filme, que não fosse real. Mas como as famílias das vítimas bem sabem, não era um filme”, afirmou a juíza.

Há dois anos, alguns itens da casa de Bulger na Califórnia foram leiloados e renderam 110 mil dólares, repassados às famílias das vítimas.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario