Brasileiro que fugiu de cadeia nos EUA será ouvido pela Justiça do Tocantins em processo por morte de amigo

0
8

Audiência de instrução sobre a morte de Valter Júnior Moreira dos Reis será no Fórum de Gurupi. Danilo Cavalcante, acusado do crime, vai participar por videoconferência, já que cumpre prisão perpétua nos Estados Unidos. Danilo Sousa (à esq.) e Valter Júnior (à dir.)
Foto: Chester County Government e Arquivo Pessoal
Está marcada para esta quinta-feira (18) a audiência de instrução de Danilo Sousa Cavalcante, sobre processo em que ele é réu pela morte de Valter Júnior Moreira dos Reis, de 20 anos. O crime aconteceu em 2017, em Figueirópolis. Danilo fugiu de cadeia nos Estados Unidos e protagonizou uma caçada após ficar duas semanas foragido.
Nos EUA, Danilo foi preso por matar a ex-namorada Débora Evangelista Brandão, brasileira de 38 anos. O crime aconteceu em 2021 e em 2023, ele conseguiu fugir da prisão no estado da Pensilvânia escalando paredes. Após 14 dias, foi encontrado pelas autoridades norte-americanas no dia 13 de setembro de 2023.
No Tocantins, ele é acusado de matar Valter, que era seu amigo, com cinco tiros, em um trailer de lanches. As investigações apontam que o motivo do assassinato seria uma dívida.
Valter Júnior foi assassinado em 2017, em Figueirópolis
Reprodução/Arquivo Pessoal
De acordo com o Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), a audiência de instrução será feita no Fórum da Comarca de Gurupi, a partir das 11h. Danilo, que cumpre pena de prisão perpétua nos EUA, deve participar por videoconferência, conforme acordo de cooperação internacional entre o Poder Judiciário do Tocantins e a Justiça norte-americana.
No julgamento vão ser ouvidas somente testemunhas de acusação, já que segundo o TJTO, a defesa de Danilo não indicou nomes no processo. Também haverá um intérprete/tradutor em língua estrangeira para mediar a videoconferência com o réu. Ainda não tem data definida para o julgamento.
Local da lanchonete em Figueirópolis onde Valter foi baleado e morto por Danilo
Reprodução/TV Anhanguera
LEIA TAMBÉM:
Quem é o brasileiro condenado à prisão perpétua que fugiu de presídio nos EUA
Após seis anos, Justiça marca primeira audiência sobre caso de estudante morto por foragido nos EUA
Como foram os 14 dias de fuga de Danilo Cavalcante, brasileiro preso nos EUA; veja linha do tempo
Brasileiro caçado nos EUA por matar ex-namorada tem julgamento marcado por homicídio no Tocantins
Danilo Cavalcante: condenado a prisão perpétua por matar ex nos EUA tem julgamento por crime no Brasil adiado
Entenda por que condenado caçado nos EUA após fugir de presídio vai passar por julgamento no Brasil
Adiamentos
Em setembro de 2023, a Justiça do Tocantins marcou a primeira audiência sobre a morte de Valter, após seis anos do crime. Ocorreria no dia 11 de outubro do mesmo ano, mas foi adiada após uma orientação da Coordenação-Geral de Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal.
O procedimento foi remarcado para o dia 29 de fevereiro de 2024, mas também não aconteceu na data, sendo remarcada para o dia 18 de abril, esta quinta-feira.
O Tribunal de Justiça do Tocantins explicou na época que o sistema penitenciário americano não consegue utilizar a videoconferência pelo sistema próprio do TJ e por isso precisou remarcar para reoorganizar o programa que será utilizado.
Morte no Brasil e caçada
Valter Júnior Moreira dos Reis passou a receber ameaças de Danilo Sousa Cavalcante poucos dias antes de ser morto. Testemunhas afirmaram que eles eram amigos e o motivo da desavença seria porque Valter supostamente bateu o carro de Danilo e não conseguiu pagar o conserto.
Uma semana depois da morte de Valter em Figueirópolis, a Justiça acatou um pedido de prisão feito pelo Ministério Público Estadual (MPE) e Danilo se tornou foragido no Brasil. Ele responde por homicídio duplamente qualificado.
Danilo Cavalcante depois de ser encontrado pelos agentes de policia dos EUA
Matt Rourke/AP
Em janeiro de 2018, ele conseguiu embarcar para os Estados Unidos pelo aeroporto de Brasília (DF). Isso porque o mandado de prisão do processo, que corre no Fórum de Gurupi, no sul do Tocantins, ainda não havia sido registrado no banco nacional de mandados. Ou seja, a informação sobre o crime ainda estava disponível somente para as autoridades tocantinenses.
Em nota o TJ informou que a prisão preventiva do acusado foi proferida no dia 13 de novembro de 2017 e na mesma data enviada à Polícia Civil para seu cumprimento, entretanto o acusado já tinha fugido do Tocantins. Sobre o registro do mandado no banco nacional de prisão, disse que a ferramenta, disponível desde 2011, só em 2018 foi oficializada.
Danilo é natural do Maranhão. Mudou para o Tocantins com parentes para e chegou trabalhar como lavrador. Débora Brandão, ex-companheira do foragido, é do mesmo estado. Ela vivia regularmente no estado norte-americano da Pensilvânia, onde eles se conheceram. Ele estava ilegal nos EUA.
Condenado à prisão perpétua por matar a ex-namorada, o brasileiro Danilo Cavalcante fugiu de cadeia nos Estados Unidos
Montagem/g1
Nos EUA, Débora foi esfaqueada 38 vezes por Danilo na frente dos dois filhos no dia 18 de abril de 2021. Segundo as investigações, ele não aceitava o fim do relacionamento e desde 2020, ameaçava a vítima.
Danilo foi preso quando estava no estado da Virgínia, uma hora depois de matar Débora. A condenação para prisão perpétua aconteceu uma semana antes da fuga, em agosto de 2023.
Danilo Sousa Cavalcante não aceitava o fim do relacionamento com Débora Evangelista Brandão
Montagem/g1
A fuga de Danilo aterrorizou moradores das regiões próximas a Phoenixville, Pensilvânia, que avistaram o criminoso.
Armado de um rifle, ele invadiu casas, roubou uma van com a chave dentro, trocou tiros com moradores locais, se escondeu na mata e mudou a aparência para não ser reconhecido. Ele foi capturado pelas autoridades em setembro.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins